Mas porque Almas Castelos? Eu conheci algumas. São pessoas cujas almas se parecem com um castelo. São fortes e combativas, contendo no seu interior inúmeras salas, cada qual com sua particularidade e sua maravilha. Conversar, ouvir uma história... é como passear pelas salas de sua alma, de seu castelo. Cada sala uma história, cada conversa uma sala. São pessoas de fé flamejante que, por sua palavra, levam ao próximo: fé, esperança e caridade. São verdadeiras fortalezas como os muros de um Castelo contra a crise moral e as tendências desordenadas do mundo moderno. Quando encontramos essas pessoas, percebemos que conhecer sua alma, seu interior, é o mesmo que visitar um castelo com suas inúmeras salas. São pessoas que voam para a região mais alta do pensamento e se elevam como uma águia, admirando os horizontes e o sol... Vivem na grandeza das montanhas rochosas onde os ventos são para os heróis... Eu conheci algumas dessas águias do pensamento. Foram meus professores e mestres, meus avós e sobretudo meus Pais que enriqueceram minha juventude e me deram a devida formação Católica Apostolica Romana através das mais belas histórias.

A arte de contar histórias está sumindo, infelizmente.

O contador de histórias sempre ocupou um lugar muito importante em outras épocas.

As famílias não têm mais a união de outrora, as conversas entre amigos se tornaram banais. Contar histórias: Une as famílias, anima uma conversa, torna a aula agradável, reata as conversas entre pais e filhos, dá sabedoria aos adultos, torna um jantar interessante, aguça a inteligência, ilustra conferências... Pense nisso.

Há sempre uma história para qualquer ocasião.

“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc. 16:15)

Nosso Senhor Jesus Cristo ensinava por parábolas. Peço a Nossa Senhora que recompense ao cêntuplo, todas as pessoas que visitarem este Blog e de alguma forma me ajudarem a divulga-lo. Convido você a ser um seguidor. Autorizo a copiar todas as matérias publicadas neste blog, mas peço a gentileza de mencionarem a fonte de onde originalmente foi extraída. Além de contos, estórias, histórias e poesias, o blog poderá trazer notícias e outras matérias para debates.
Agradeço todos os Sêlos, Prêmios e Reconhecimentos que o Blog Almas Castelos recebeu. Todos eles dou para Nossa Senhora, sem a qual o Almas Castelos não existiria. Por uma questão de estética os mesmos foram colocados na barra lateral direita do Blog. Obrigado. Que a Santa Mãe de Deus abençoe a todos.

sábado, 30 de outubro de 2010

Amor Cristão e Amor Romantico


Tenho feito algumas postagens sobre a caridade cristã, que também pode ser chamada de amor ao próximo. No entanto tais postagens têm causado equívocos no entendimento de alguns e pedido de esclarecimentos de outros. Esclareço desde já que estou preparando uma matéria mais completa sobre esse assunto, Mas por ora, para que seja esclarecido o verdadeiro sentido do amor ou caridade, me vejo na obrigação de fazer esta postagem complementar.

No mundo em que vivemos, totalmente inseridos nas doutrinas filosóficas do romantismo, falar em amor pode ser perigoso. Pois se a finalidade do Blog é levar as almas para o céu, sendo mal interpretado pode acabar levando nossos irmãos e irmãs para uma visão romântica de Deus e da Igreja.

Cabe salientar desde já que muita gente chama de romântico, o ato de oferecer flores, ser poético, etc. Esses atos, mais apropriadamente devem ser chamados de atos carinhosos. Com a crise moral e religiosa que se abatia sobre o homem de outrora que cada vez mais se afastava de Deus, acarretou, no final do século XVIII, o surgimento uma doutrina nova doutrina filosófica chamada Romantismo. Essa doutrina filosófica colocou o “próprio homem” com sendo o centro do universo. Podemos resumir assim: “O que importa não é mais Deus e se eu levo uma vida de virtudes e pecados, mas o que importa é: “eu mesmo” se eu estou sofrendo, se eu estou amando e sendo amado, se eu vivo feliz olhando e sorrindo. Por outro lado o Romantismo tem um lado triste: a cultura do sentimento, do sentimentalismo e do sofrimento. O poetas viviam sofrendo de amor...
Deus não é Romântico, nem a Igreja é.
Amor é um ato sublime da caridade cristã.
O amor romântico é totalmente oposto do amor católico.
O amor romântico é uma corruptela do verdadeiro amor.

Romantismo foi um movimento artístico, político e filosófico surgido nas últimas décadas do século XVIII na Europa que perdurou por grande parte do século XIX. [...] Inicialmente apenas uma atitude, um estado de espírito, o Romantismo toma mais tarde a forma de um movimento e o espírito romântico passa a designar toda uma visão de mundo centrada no indivíduo. Os autores românticos voltaram-se cada vez mais para si mesmos, retratando o drama humano, amores trágicos, ideais utópicos e desejos de escapismo. Se o século XVIII foi marcado pela objetividade, pelo Iluminismo e pela razão, o início do século XIX seria marcado pelo lirismo, pela subjetividade, pela emoção e pelo eu.
(Wikipédia, a enciclopédia livre
http://pt.wikipedia.org/wiki/Romantismo)

O verdadeiro e maior amor é o que Nosso Senhor Jesus Cristo nos ensinou, morrendo na Cruz por nós. Esquecer de si próprio por amor ao seu irmão é bem diferente do amor romântico que tem o “eu” com principal personagem.

Mas então cabe uma pergunta que certamente todos irão estar fazendo nessa hora:

E o amor entre homem e mulher? Como fica esse amor sem o romantismo?
Resposta: Sem o romantismo fica AMOR SANTO, fica AMOR CRISTÃO, onde os namorados sabem de suas obrigações e trabalham para construir sua família sólida sobre os princípios cristãos, não sobre os princípios “moles” do romantismo. Dar uma flor é um ato de carinho. Demonstrar carinho é um ato de caridade cristã ou amor cristão.
O cristão romântico vê Deus como “um poço de Bondade”... Não castiga ninguém, não pune ninguém... é só amor. Daí temos que o romantismo deturpou até a noção verdadeira do que é ser católico, chegando a fazer alguns católicos superficiais a negar a própria existência do inferno – que é dogma de fé.
Deus não é romântico. Jamais se encontrou na doutrina católica princípios românticos.
O romantismo tira do cristão a vontade de lutar, pois para ele o amor conquista tudo. Tudo é o amor. O amor resolve tudo. Leva o cristão à “moleza” de alma e tira-lhe as forças inclusive para resistir e lutar contra as tentações.

Muitas vezes as pessoas lêem a Epístola de São Paulo I aos Corintios Corínthios, 13, e ficam sonhando com o amor... São Paulo, quando escreveu essa belíssima epístola, não estava falando de amor de homem e mulher e nem a escreveu para que servisse de tema para os apaixonados românticos. São Paulo fala da caridade cristã pelo qual todos devemos amar o nosso próximo.

NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, que é verdadeiro homem e verdadeiro Deus, jamais deixou de amar ao próximo, e nem por isso deixou de chicotear os vendilhões do templo, bem como chamou os fariseus de “raça de víboras”.

Ao ver, porém, que muitos dos fariseus e dos saduceus vinham ao seu batismo, disse-lhes: Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da cólera vindoura? (São Mateus 3,7)

Raça de víboras, maus como sois, como podeis dizer coisas boas? Porque a boca fala do que lhe transborda do coração. (São Mateus 12,34)

Serpentes! Raça de víboras! Como escapareis ao castigo do inferno? (São Mateus 23,33)

Dizia, pois, ao povo que vinha para ser batizado por ele: Raça de víboras! Quem vos ensinou a fugir da ira iminente? (São Lucas 3,7)

Imagino o que passará pelo coração dos românticos que pensam que Deus é só Amor, essas passagens bíblicas. Deus é Amor (não romântico), mas também é Justiça e Sabedoria.

Sendo assim e esclarecidas as questões que me pediram, agora sim passo a citar a Epístola de São Paulo:

Epístola I aos Corínthios, 13:1-11(versão Ave Maria)

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver caridade, sou como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine.
Mesmo que eu tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência; mesmo que tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tiver caridade, não sou nada.
Ainda que distribuísse todos os meus bens em sustento dos pobres, e ainda que entregasse o
meu corpo para ser queimado, se não tiver caridade, de nada valeria!
A caridade é paciente, a caridade é bondosa. Não tem inveja. A caridade não é orgulhosa. Não é arrogante.
Nem escandalosa. Não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda rancor.
Não se alegra com a injustiça, mas se rejubila com a verdade.
Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
A caridade jamais acabará. As profecias desaparecerão, o dom das línguas cessará, o dom da ciência findará.
A nossa ciência é parcial, a nossa profecia é imperfeita.
Quando chegar o que é perfeito, o imperfeito desaparecerá.
Quando eu era criança, falava como criança, pensava como criança, raciocinava como criança. Desde que me tornei homem, eliminei as coisas de criança.
Hoje vemos como por um espelho, confusamente; mas então veremos face a face. Hoje conheço em parte; mas então conhecerei totalmente, como eu sou conhecido.Por ora subsistem a fé, a esperança e a caridade - as três. Porém, a maior delas é a caridade.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Corações vazios


Na grande Biblioteca de Boston, empregam-se, muitas vezes, pedaços de madeira que imitam livros; são peças colocadas nas estantes, nos lugares vagos para indicar a ausência de uma obra emprestada ou a falta de algum volume novo a ser adquirido.

A forma que substitui o livro ausente traz sempre na lombada esta indicação: - "Nada dentro".

Muitos corações, que se dizem cristãos, podiam marcar-se com a mesma legenda: "Nada dentro".

Fingem, como as formas de madeira, ter alguma coisa dentro mas nada encerram, porque não trazem o amor de Deus.

Não há no céu - ensina a "Imitação de Cristo" - nem na terra coisa mais doce, mais forte, mais sublime, mais ampla, mais deliciosa, mais completa nem melhor que o amor. O amor nasceu de Deus, e não pode descansar senão em Deus, elevando-se acima de todas as criaturas.

Quem ama, corre, voa. Vive alegre, é livre e nada o embaraça. Dá tudo para possuir tudo; e possui tudo em todas as coisas, porque sobre todas descansa no único Sumo Bem, do qual derivam todos os bens.

Não olha as dádivas, mas eleva-se acima de todos os bens, até Aquele que os liberaliza.

O amor muitas vezes não sabe limitar-se; mas vai além de todos os limites.

Nada lhe pesa, nada lhe custa; empreende mais do que pode; não se desculpa com a impossibilidade, pois crê que tudo lhe é possível e permitido.

O amor está sempre vigilante.

Nenhuma fadiga o cansa; nenhuma angústia o aflige; nenhum terror o assusta, mas qual ardente chama e cintilante labareda, ganha todas as alturas e vence todos os obstáculos.

(Malba Tahan – Lendas do Céu e da Terra)

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

À beira do abismo


Bem equilibrado em seus magníficos esquis, um moço desliza rapidamente por uma pista através da floresta nevada. No termo da ladeira abre-se um barranco profundo. O jovem desliza com a rapidez da flecha; mas, a alguns metros do barranco, pára de súbito com movimento lento e firme. Ei-lo de pé, à beira do precipício, imóvel, como uma coluna de granito.

- Bravo! Magnífico! Onde aprendeste essa tão grande precisão? - exclamaram os companheiros.

- Não foi aqui que comecei, é certo - respondeu o hábil patinador. – Primeiro ensaiei, e mais de cem vezes parei em ladeiras menos perigosas. Agora sei travar os meus esquis à beira de qualquer abismo!

O caminho da vida, meu amigo, é também uma pista, com muitos barrancos, e hiatos profundos. E os que não ensaiam cem vezes deter-se na ladeira, resistindo bravamente à tempestade das paixões, acabam por cair no abismo e perder-se nele sem recurso. Exercitar a vontade é manter, constantemente, o espírito em estado de luta contra a autoridade avassaladora do corpo. A alma de quem cede sem resistência ao menor instinto, carecerá de firmeza, e uma confusão terrível lhe envolverá os pensamentos...

Tal verdade transluz na palavra do Senhor: "O reino dos céus deve ser conquistado, e só os violentos podem arrebatá-lo das nossas mãos".

A primeira condição dum caráter firme é lutar contra si mesmo e fazer reinar a ordem na floresta virgem das forças que o instinto, por vezes, torna desregradas.

(Malba Tahan – Lendas do Céu e da Terra)

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Homenagem à minha família

Há momentos de nossa vida em que a saudades de nossa família aperta no peito. Meus queridos pais e seus pais e avós, meus bisavós. Família que manteve as tradições italianas desde muitos anos até nossos dias. Lembranças do Norte da Itália e da música que trouxeram como herança de sua terra natal e que é cantada até hoje lembramos com felicidade.


La Montanara

Là su per le montagne, (Lá em cima das montanhas)
fra boschi e valli d'or, (entre bosques e vales dourados,)
tra l'aspre rupi echeggia (entre os ásperos penhascos ecoa)
un cantico d'amor. (um cântico de amor)
(Bis)

La montanara o-he (A montanara o-he)
si sente cantare, (se ouve cantar,)
cantiam la montanara (cantaremos a montarana)
e chi non la sa? (e quem não a sabe?)
(Bis 2 vezes)

Là su sui monti (Lá em cima dos montes)
dai rivi d'argento, (com seus riachos de prata,)
una capanna cosparsa di fiori. (uma cabana coberta de flores.)

Era la piccola (Era a pequena)
dolce dimora (doce morada)
di Soreghina(*) (de Soreghina)
la figlia del sol. (bis) (A filha do sol.)

(*) Personagen de uma fábula.
LA PASTORA

La Pastora

E lassù sulla montagna gh’era su ‘na pastorella,
pascolava i suoi caprin su l’erba fresca e bella.
E di lì passà un signore e ‘l ghe diss:
“oi pastorella, guarda ben che i tuoi caprin lupo non se li piglia”.

Salta for lupo dal bosco, con la faccia nera, nera:
l’à magnà, ‘l più bel caprn che la pastora aveva.
Ed allor si mise a piangere, e piangeva forte forte,
a veder il ben caprin, vederlo andar a morte.

Lá em cima da montanha havia uma pastora,
suas cabras pastavam na relva fresca e bonita.
E um cavalheiro passou e disse-lhe:
"Olá pastora, proteja bem suas cabras para que o lobo não as devore"

Salta o lobo do bosque, com o rosto preto, preto:
e devora a mais bela cabra que a pastora tinha.
E então se colocou a chorar, chorou forte forte,
para ver bem a cabra, vê-la ir até a morte.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

A dádiva que agrada a Deus


Conta um poeta veneziano que, em tempos idos, numa pequena cidade da Itália, os fiéis foram convidados, em certo dia de festa, a depor uma dádiva diante do altar. E quem desse alguma coisa, realmente aceita pelo Senhor, havia de saber, por milagroso aviso, que a sua oferta agradara.

Apressaram-se todos a trazer especiarias custosas, rendas de preço, jóias, pedras preciosas, peças de ouro e prata, vestimentas dispendiosas, estatuas, quadros magníficos. Eram oferendas cheias de vaidade, transbordantes de orgulho. A graça divina não coroou com o sinal revelador nenhuma daquelas oblações.

E todos deixavam o templo cabisbaixos, envergonhados como se tivessem ofendido a Divina Caridade.

Ao cair da tarde uma moça pobremente vestida apresentou-se com as mãos vazias. Entrou sem dar atenção aos olhares curiosos que convergiam sobre ela, aproximou-se do altar, ajoelhou-se e orou durante algum tempo. Viram-na colocar ambas as mãos sobre o altar e nessa atitude permanecer um instante. Depois levantou-se, saiu da catedral com o semblante calmo e alegremente iluminado. Então todos os fiéis olharam para o altar e eis, o milagre do Céu! - dois lírios brancos ali surgidos, deslumbrantes em sua alvura, embalsamam o ar com penetrante perfume. Eis o sinal revelador!

A pobre menina não tinha ricos presentes que desse, mas consagrou-se a si mesma, e foi essa a oferenda aceita pelo Senhor.

Os dons que promanam da ostentação e da vaidade nada valem aos olhos de Deus.
Lembrai-vos dos grandes conselhos que dão os Santos: É mister que aquele que tem muito dê muito; que o que tem pouco dê pouco; e que aquele que nada tem, possua ao menos o desejo de dar; pois a vontade daquele que dá ou deseja dar tem mais merecimento que a mesma dádiva. O pequeno óbolo da viúva, de que nos fala o Evangelho, foi mais agradável a Deus que as pomposas ofertas feitas pelos ricos faustosos.

Amai, também, a esmola espiritual. Um prudente conselho, uma virtuosa exortação, uma consolação salutar, uma visita a um enfermo, a proteção dada a uma viúva ou a um órfão, a uma pessoa abandonada ou perseguida, são esmolas tanto mais meritórias diante de Deus quanto ordinariamente são menos brilhantes aos olhos dos homens.

(Malba Tahan - Lendas do Céu e da Terra)

Mãos salvadoras



Certa senhora, dotada, embora, de grande formosura, tinha um defeito. Possuía as mãos enrugadas, quase disformes. Durante muito tempo sua filha, menina viva e sagaz, com a delicada intuição da infância, não tocara no assunto. Por fim a curiosidade pôde mais do que ela, levando-a a esta confissão:

- "Minha mãe, eu gosto muito do seu lindo rosto, e gosto muito de seus lindos olhos, e da sua testa e do seu pescoço, mas não posso gostar das suas mãos. São tão feias!”.

Então a carinhosa mãe contou-lhe o seguinte:

- "Uma noite, quando você era ainda muito pequena e estava dormindo em seu bercinho de rendas e fitas, ouviu-se por toda a casa, o alarme de incêndio. Subi precipitadamente as escadas e encontrei em chamas o quarto onde você sonhava com os anjinhos. Quis Deus levar-me até ao seu berço e eu a salvei. Desde então as minhas mãos ficaram assim”.

A adorável criança quedou silenciosa por alguns instantes. Depois disse:

- Ó mamãezinha, eu ainda gosto do seu rosto, de sua testa e do seu pescoço, e dos seus olhos e dos seus cabelos mas agora gosto das suas mãos mais do que tudo.

Reparai agora meus amigos nas mãos divinas de Jesus - mãos remidoras e compassivas porque foram no infamante lenho da maldita cruz traspassadas impiedosamente por causa dos pecados de todos nós - distanciados do redil de Deus...

(Malba Tahan - Lendas do Céu e da Terra)

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Carta de São Francisco de Assis


A todos os podestades, cônsules, juízes e regentes no mundo inteiro, e a todos quantos receberem esta carta, Frei Francisco, mísero e pequenino servo no Senhor, deseja saúde e paz.

Considerai e vede que se aproxima o dia da morte (Gn 47,29). Peço-vos, pois, com todo o respeito de que sou capaz que, em meio aos cuidados e solicitudes que tendes neste século, não esqueçais o Senhor nem vos afasteis dos seus mandamentos. Pois todos aqueles que O deixam cair no esquecimento e se afastam dos seus mandamentos são amaldiçoados (Sl 118,21) e serão por Ele entregues ao esquecimento (Ez 33,13). E quando chegar o dia da morte, tudo o que entendiam possuir ser-lhes-á tirado (Lc 8,18). E quanto mais sábios e poderosos houverem sido neste mundo, tanto maiores tormentos padecerão no inferno (Sb 6,7).

Por isso aconselho-vos encarecidamente, meus senhores, que deixeis de lado todos os cuidados e solicitudes e recebais com amor o santíssimo corpo e o santíssimo sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo, por ocasião de sua santa memória.

Diante do povo que vos foi confiado, prestai ao Senhor este testemunho público de veneração: todas as tardes mandai proclamar por um pregoeiro, ou anunciai por algum sinal, que todo o povo deverá render graças e louvores ao Senhor Deus todo-poderoso. E se não o fizerdes, sabei que haveis de dar conta perante vosso Senhor Jesus Cristo no dia do juízo.

Os que levarem consigo este escrito e o observarem saibam que serão abençoados por Deus nosso Senhor

(Escritos e biografias de São Francisco de Assis, 7ª edição, Editora Vozes, Petrópolis, 1996, pp. 98-99).

terça-feira, 19 de outubro de 2010

A Voz de Deus



Duas jovens irmãs saíram certa manhã, a passeio. Seguiram a mesma estrada e caminharam juntas. De volta foram interrogadas pelo pai a respeito do que haviam visto durante a excursão.

- Nada vi - respondeu a primeira, surpreendida com a pergunta.

- Não tenho palavras para exprimir tudo o que vi e ouvi - disse a segunda. - Encontrei, no caminho, regatos rumorejantes, lindas borboletas, flores admiráveis, pássaros pipilando, folhas a farfalhar agitadas pelas brisas amenas, e mil outras belezas indescritíveis.

Que diferença observamos na diversidade com que essas duas irmãs, igualmente capazes de ver e de ouvir, encaravam as belezas naturais! A alma de uma era emocionada pelo belo, enquanto que a da outra se conservava indiferente às maravilhas da natureza.

Ouvi a palavra de Deus e a vossa alma viverá!
Estais, acaso, surdos à voz de Deus e às belezas espirituais que se expressam em milhares de vozes? Fitais as estrelas, no firmamento, sem que vos lembrem o Criador? Ouvis o chilrear das aves, sem um pensamento de gratidão ao Senhor que as fez? Sentis um impulso de adoração, quando acompanhais o cântico dos hinos do Seu santuário? As palavras do prega-dor fazem surgir em vosso espírito estranhos anseios por uma vida mais nobre? Sentis a presença de Deus quando Ele segreda paz ao vosso coração, nas horas silenciosas?

Deus está falando através de toda a Sua criação, mas somente à alma humana é dado captar-lhe as mensagens. Um pensador notável afirmava: - "A alma tem sempre a sua hora de silêncio completo. Deus nos fala cada noite, incessantemente. Quando os sons do mundo morrem ou se abafam dentro d’alma, então podemos ouvir os conselhos de Deus. Ele nos fala de contínuo e só não podemos ouvi-lo, quando nos ensurdece o burburinho, as fadigas e as distrações materiais do mundo".

(Malba Tahan - Lendas do Céu e da Terra)

sábado, 16 de outubro de 2010

Invoca a Maria

E o nome da Virgem era Maria (Lc. 1,27).

Falemos um pouco deste nome que significa, segundo se diz, Estrela do mar, e que convém maravilhosamente à Virgem Mãe.... Ela é verdadeiramente esta esplêndida estrela que devia se levantar sobre a imensidade do mar, toda brilhante por seus méritos, radiante por seus exemplos.

Ó tu, quem quer que sejas, que te sentes longe da terra firme, arrastado pelas ondas deste mundo, no meio das borrascas e tempestades, se não queres soçobrar, não tires os olhos da luz desta estrela.

Se o vento das tentações se levanta, se o escolho das tribulações se interpõe em teu caminho, olha a estrela, invoca Maria.

Se és balouçado pelas vagas do orgulho, da ambição, da maledicência, da inveja, olha a estrela, invoca Maria.

Se a cólera, a avareza, os desejos impuros sacodem a frágil embarcação de tua alma, levanta os olhos para Maria.

Se, perturbado pela lembrança da enormidade de teus crimes, confuso à vista das torpezas de tua consciência, aterrorizado pelo medo do Juízo, começas a te deixar arrastar pelo turbilhão da tristeza, a despenhar no abismo do desespero, pensa em Maria.

Nos perigos, nas angústias, nas dúvidas, pensa em Maria, invoca Maria.

Que seu nome nunca se afaste de teus lábios, jamais abandone teu coração; e para alcançar o socorro da intercessão dEla, não negligencies os exemplos de sua vida.

Seguindo-A, não te transviarás; rezando a Ela, não desesperarás; pensando nEla, evitarás todo erro.

Se Ela te sustenta, não cairás; se Ela te protege, nadas terás a temer; se Ela te conduz, não te cansarás, se Ela te é favorável, alcançarás o fim.

E assim verificarás, por tua própria experiência, com quanta razão foi dito: "E o nome da Virgem era Maria".

São Bernardo de Claraval

(Louvores da Virgem Maria, Super missus, 2ª homília, 17 - apud Pierre Aubron SJ, L'oeuvre mariale de Saint Bernard, Editions du Cerf, Paris, Les Cahiers de la Vierge, nº 13-14, março de 1936, pp. 68-69)

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Uma menina de coragem


Carta infantil abala ditadura da moda.

Bastou apenas a carta de uma menina de 11 anos, reclamando pela falta de roupas moralizadas nas prateleiras das lojas, para que a poderosa cadeia norte-americana de vestuário Nordstrom ficasse abalada e prometesse corrigir o erro.

Ella Gunderson, de Seattle (Estado de Washington), que pertence ao grupo católico Desafio, queixou-se aos diretores da Nordstrom pelo fato de eles só oferecerem roupas que descobrem o abdômen e peças íntimas de vestuário.

E acrescentou que tal atitude da Nordstrom parece revelar que a empresa julga que “todas as meninas devemos andar meio nuas”.

Em face disso, a Nordstrom prometeu oferecer alternativas decentes para as moças.

O caso não é o primeiro. Em 2002, a loja Dillard passou a vender roupas com mais modéstia para as jovens, após queixas formuladas por um grupo juvenil de Arizona.

A ditadura da moda hoje apresenta analogias com o omniarca imaginado pelo grande escritor católico do século XIX, Louis Veuillot. Sentado num trono, aquele tirano governa a humanidade escravizada; mas treme ao ouvir qualquer pequeno ruído diferente, pois imagina que possa ser o início de uma revolta destinada a derrubar seu regime despótico.

Fonte: Revista Catolicismo.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

O Apóstolo São Tomé no Brasil



Alguns relatos históricos e numerosos indícios materiais, quase desconhecidos do grande público, atestam a passagem do Apóstolo São Tomé, no início de nossa era, entre os índios brasileiros.

Os índios comentavam que seus antepassados teriam visto um homem vestido de túnica que caminhava pelo mar em direção ao Brasil, sendo acompanhado de uma grande Cruz que vinha logo após ele.

Em nosso País, a legenda e vestígios de São Tomé encontram-se espalhados por muitos lugares. É tradição antiga entre os índios que aquele Apóstolo — a quem chamavam Sumé — veio ao Brasil e lhes forneceu a planta da mandioca e da banana, ajudando-os a cultivar a terra. Pregou o bem àqueles indígenas, ensinando-os a adorar e servir a Deus e não ao demônio; a não terem mais de uma mulher e não comerem carne humana.

Desde o Rio Grande do Sul, passando por São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Paraíba, Ceará e Maranhão, encontram-se pegadas atribuídas a São Tomé. Pela tradição dos índios, elas vêm de remotas eras, anteriores ao Descobrimento.

Na Bahia, em São Tomé do Peripé, há uma fonte perene de água doce, que brota de um penedo junto a certas pegadas, e é tradição que ali desceu São Tomé. Perto de Cabo Frio (RJ) existe outro penedo, que parece ter levado várias bordoadas. É tradição dos índios terem sido impressas pelo bordão de São Tomé, numa ocasião em que eles haviam resistido à doutrina do Apóstolo.

Fonte: Revista Catolicismo número 631 (Julho de 2003)

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Do que voce é capaz?



Minha amiga Giselia enviou um e-mail com um conto muito interessante. Gostei muito e por isso partilho com voces, meus amigos e amigas:

Conta certa lenda, que estavam duas crianças patinando num lago congelado.Era uma tarde nublada e fria, e as crianças brincavam despreocupadas.

De repente, o gelo quebrou e uma delas caiu, ficando presa na fenda que se formou. A outra, vendo seu amiguinho preso, e se congelando, tirou um dos patins e começou a golpear o gelo com todas as suas forças, conseguindo por fim, quebrá-lo e libertar o amigo.

Quando os bombeiros chegaram e viram o que havia acontecido, perguntaram ao menino:

- Como você conseguiu fazer isso? É impossível que tenha conseguido quebrar o gelo, sendo tão pequeno e com mãos tão frágeis!

Nesse instante, um ancião que passava pelo local, comentou:

- Eu sei como ele conseguiu.

Todos perguntaram:

- Pode nos dizer como?

- É simples: - respondeu o velho.- Não havia ninguém ao seu redor para lhe dizer que não seria capaz.

Albert Einstein

domingo, 10 de outubro de 2010

Quem serão esses Apóstolos?


No livrinho maravilhoso Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem, escrito por São Luiz Maria Grignion de Montfort, há uma oração no final, chamada ORAÇÃO ABRASADA. Essa oração profética mostra os homens que virão sustitados por Deus. Quem seriam esses homens? Quem estaria disposto a ser um homem escolhido por Deus para tão importante missão?

Abaixo transcrevo partes da Oração Abrasada, omitindo também as partes em latim:

Lembrai-Vos, Senhor, de vossa Congregação que possuístes em vosso espírito desde toda a eternidade.
Atendei, Senhor, aos desígnios de vossa misericórdia; suscitai os homens de vossa destra.
Ó grande Deus, que das pedras brutas podeis fazer outros tantos filhos de Abraão, dizei uma só palavra como Deus e hão de vir bons operários para a vossa messe e bons missionários para a vossa Igreja.
Vossa divina lei é transgredida; vosso Evangelho, abandonado; torrentes de iniqüidade inundam toda a Terra, e arrastam até os vossos servos; a Terra toda está desolada, a impiedade está sobre o trono, vosso santuário é profanado, e a abominação entrou até no lugar santo.
Senhor Jesus, lembrai-Vos de dar à vossa Mãe uma nova companhia, a fim de por Ela renovar todas as coisas, e terminar por Maria os anos da graça, como por Ela os começastes.
Que Vos peço eu? - Nada em meu favor, tudo para vossa glória.
Que Vos peço eu? - sacerdotes livres de vossa liberdade, desprendidos de tudo, sem pai, sem mãe, sem irmãos, sem irmãs, sem parentes segundo a carne, sem amigos segundo o mundo, sem bens, sem embaraços, sem cuidados, e até sem vontade própria.

escravos de vosso amor e de vossa vontade, homens segundo vosso Coração que, sem vontade própria que os macule e faça parar, executem todas as vossas vontades e lancem por terra todos os vossos inimigos, quais novos Davids, com o cajado da Cruz e a funda do santíssimo Rosário nas mãos.

nuvens elevadas da terra e cheias de celeste orvalho que voem sem empecilhos, de todos os lados, conforme o sopro do Espírito Santo.

verdadeiros servos da Santíssima Virgem, que, como outros tantos São Domingos, vão por toda parte, com o facho lúcido e ardente do santo Evangelho na boca, e o santo Rosário na mão, a ladrar como cães, a arder como fogos e a iluminar como sóis as trevas do mundo; e que, por meio de uma verdadeira devoção a Maria Santíssima - isto é, uma devoção interior sem hipocrisia, exterior sem crítica, prudente sem ignorância, terna sem indiferença, constante sem volubilidade e santa sem presunção - esmaguem, por todos os lugares onde forem, a cabeça da antiga serpente, a fim de que a maldição que sobre ela lançastes seja inteiramente cumprida: inimicítias ponam inter te et mulíerem, inter semen tuum et semen ipsíus, et ipsa cónteret caput tuum.

É verdade, grande Deus, que o demônio há de armar, como predissestes, grandes ciladas ao calcanhar desta mulher misteriosa, isto é, a essa pequena Companhia de seus filhos que surgirão próximo do fim do mundo; e que haverá grandes inimizades entre esta bendita posteridade de Maria e a raça maldita de Satanás. Mas é esta uma inimizade toda divina, a única de que sejais autor: inimicítias ponam.

Porém, esses combates e essas perseguições, que os filhos e a raça de Belial farão à raça de vossa Mãe Santíssima, só servirão para melhor fazer resplandecer o poder de vossa graça, a coragem da virtude dos vossos servos, e a autoridade de vossa Mãe; pois que Lhe destes, desde o começo do mundo, a missão de esmagar esse soberbo, pela humildade de seu coração e de seu calcanhar: ipsa cónteret caput tuum.

O reino especial de Deus Pai durou até o dilúvio e foi terminado por um dilúvio de água; o reino de Jesus Cristo foi terminado por um dilúvio de sangue; mas vosso reino, Espírito do Pai e do Filho, continua presentemente e será terminado por um dilúvio de fogo, de amor e de justiça.
Quando é que virá este dilúvio de fogo do puro amor, que deveis atear em toda a Terra de um modo tão suave e tão veemente que todas as nações, os turcos, os idólatras, e até mesmo os judeus hão de arder nele e se converter?

seja ateado esse divino fogo que Jesus Cristo veio trazer à Terra, antes que ateeis o de vossa cólera que reduzirá toda a Terra a cinzas.

enviai à Terra esse Espírito todo de fogo, para nela criar sacerdotes todos de fogo, por cujo ministério seja renovada a face da Terra, e reformada a vossa Igreja.

Qual é, Senhor, esta chuva voluntária que separastes e escolhestes para vossa enfraquecida herança, senão esses santos missionários, filhos de Maria, vossa Esposa, aos quais deveis congregar e separar do comum dos homens, para o bem de vossa Igreja, tão debilitada e maculada pelos crimes de seus filhos?
Quem são esses animais e esses pobres que habitarão em vossa herança, e serão aí nutridos com a divina doçura que lhes haveis preparado, senão esses pobres missionários abandonados à Providência e que transbordarão de vossas mais divinas delícias.

Tais hão de ser os missionários que quereis enviar à vossa Igreja. Terão olhos de homem para o próximo, olhos de leão contra vossos inimigos, olhos de boi contra si próprios e olhos de águia para Vós.
Esses imitadores dos apóstolos pregarão com uma grande força e virtude, tão grande e tão deslumbrante, que hão de comover todos os espíritos e todos os corações nos lugares em que pregarem. A eles é que haveis de dar vossa palavra; vossa própria boca e vossa sabedoria, à qual nenhum de seus inimigos poderá resistir.

É entre esses prediletos que tomareis vossas complacências, na qualidade de Rei das virtudes de Jesus Cristo, o bem-amado, pois que em todas as suas missões não terão outro fim senão dar-Vos toda a glória dos despojos que arrebatarem a vossos inimigos.

Por seu abandono à Providência e sua devoção a Maria, terão as asas prateadas da pomba, isto é, a pureza da doutrina e dos costumes; e douradas as costas, isto é, uma perfeita caridade para com o próximo, para suportar-lhe os defeitos, e um grande amor a Jesus Cristo, para carregar a sua cruz.

Só Vós, como Rei dos Céus e Rei dos reis, haveis de separar do comum dos homens esses missionários como outros tantos reis, para torná-los mais brancos que a neve sobre a montanha de Selmon, montanha de Deus, montanha abundante e fértil, montanha forte e coagulada, montanha na qual Deus se compraz maravilhosamente, e na qual habita e há de habitar até o fim.

Quem é, Senhor Deus de verdade, essa montanha misteriosa de que nos dizeis tantas maravilhas, senão Maria, vossa dileta Esposa, cujos fundamentos pusestes sobre o cimo das mais altas montanhas?

Felizes e mil vezes felizes os sacerdotes que tão bem escolhestes e predestinastes para habitar convosco nessa abundante e divina montanha, para aí se tornarem reis da eternidade, por seu desprezo da Terra e sua elevação em Deus; para aí se tornarem mais brancos que a neve por sua união a Maria, vossa Esposa toda formosa, toda pura e toda imaculada; para aí se enriquecerem do orvalho do Céu e do húmus da Terra, de todas as bênçãos temporais e eternas de que está toda cheia Maria Santíssima.
É do alto dessa montanha que hão de lançar, quais novos Moisés, por suas ardentes súplicas, dardos contra seus inimigos, para os prostrar ou para os converter.
É sobre essa montanha que hão de aprender da própria boca de Jesus Cristo, que aí habita sempre, a inteligência das suas oito bem-aventuranças.
É sobre essa montanha de Deus que com Ele hão de ser transfigurados, como no Tabor, que hão de morrer com Ele, como no Calvário, e que hão de subir com Ele ao Céu, como no monte das Oliveiras.
Só a Vós compete formar, por vossa graça, essa assembléia; se o homem nela puser primeiro a mão, nada se fará; se nela misturar algo de próprio com o que é vosso, estragará tudo, arruinará tudo.
é obra vossa, grande Deus. fazei vossa obra toda divina; ajuntai, convocai, reuni de todas as partes de vossos domínios os vossos eleitos, para deles fazer um corpo de exército contra vossos inimigos.
Vede, Senhor Deus dos exércitos, os capitães que formam companhias completas, os potentados que reúnem exércitos numerosos, os navegadores que armam frotas inteiras, os mercadores que se congregam em grande número nos mercados e nas feiras!

Quantos ladrões, ímpios, ébrios e libertinos se unem em massa contra Vós todos os dias, tão fácil e prontamente: basta soltar um assobio, rufar um tambor, mostrar a ponta embotada de uma espada, prometer um ramo seco de louros, oferecer um pedaço de terra amarela ou branca; basta, em poucas palavras, uma fumaça de honra, um interesse de nada e um mesquinho prazer animal que se tem em vista, para, num instante, reunir os ladrões, ajuntar os soldados, agrupar os batalhões, congregar os mercadores, encher as casas e os mercados, e cobrir a terra e o mar com uma multidão inumerável de réprobos que - embora divididos todos entre si, ou pelo afastamento dos lugares, ou pela diversidade dos gênios, ou por seus próprios interesses - se unem entretanto todos até à morte, para fazer-Vos guerra sob o estandarte e o comando do demônio.

E Vós, grande Deus! embora haja tanta glória, doçura e proveito em servir-Vos, quase ninguém tomará o vosso partido? Quase nenhum soldado se alistará sob vossos estandartes? Quase nenhum São Miguel clamará no meio de seus irmãos, cheio de zelo pela vossa glória: Quis ut Deus?

Ah! permiti-me bradar por toda parte: Fogo, fogo, fogo! Socorro, socorro, socorro! Fogo na casa de Deus, fogo nas almas, fogo até no santuário! Socorro, que assassinam nosso irmão; socorro, que degolam nossos filhos, socorro, que apunhalam nosso bom Pai!

que venham todos os bons sacerdotes espalhados pelo mundo cristão, quer os que estejam atualmente no combate, quer os que se tenham retirado da confusão da batalha para os desertos e ermos; que venham esses bons sacerdotes e se unam a nós.

a fim de formarmos, sob o estandarte da Cruz, um exército em boa ordem de batalha e bem disciplinado, para de concerto atacar os inimigos de Deus que já tocaram a rebate.

Erguei-Vos, Senhor! Por que pareceis dormir? Erguei-Vos em vossa onipotência, em vossa misericórdia e em vossa justiça, para formar-Vos uma companhia seleta de guardas que velem a vossa casa, defendam vossa glória e salvem vossas almas, a fim de que haja um só rebanho e um só pastor, e de que todos Vos rendam glória em vosso templo. Amém.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Jogos de mesa tradicionais




Há pouco tempo atrás recebi a noticia de que os jogos de mesa tradicionais estão voltando. Qual não foi minha alegria em ler tal notícia. Com a modernização da sociedade, os centros urbanos passaram por grandes transformações, restando pouco espaço e opções para lazer. Gradativamente as crianças foram sendo transferidas para a “televisão”, “vídeo game” e computador, isolando-a de outras crianças e causando enorme transtorno psíquico em sua formação. Os adultos, então sendo “vítimas” da crise moral, se afundaram nos excessos da cidade “evoluída”. Com isso só poderia ter um corolário: a crise da família, o despreparo para o casamento, e a formação inadequada dos jovens.

Os jogos de mesa tradicionais desenvolvem o raciocínio, exercitam a inteligência, trazendo muitos benefícios, para adultos e jovens. Especialmente os jogos educativos.

Lembro-me, com saudade, quando eu e meus irmãos éramos jovens, reuníamos em casa com muitos amigos e amigas para conversar, e jogar jogos tradicionais de mesa. Apesar da maioria dos jogos de mesa serem interessantes, não gostávamos muito de jogos de sorte (que tinha dados ou roletas), apesar de joga-los de vez em quando. Lembro-me que queríamos jogos de inteligência para disputar entre nós. Entre esses jogos estão: Xadrez, damas, trilha, primeira guerra mundial (jogo de comandos escritos), mancala (jogo africano), batalha naval, Klotski (jogo de blocos de madeira polonês), dominó, cartas, e tantos outros. Todos de estratégia e raciocínio. Junto com os jogos havia sucos e lanches. Meu irmão mais novo ainda tem esses jogos guardados.

Há uma lenda em torno da mancala. Consta que na África houve uma grande competição de mancala. Durou vários dias. Por fim sobraram os dois finalistas: um homem e uma mulher. Eles jogavam tão bem que o jogo nunca acabava. Paravam para almoçar, jantar e dormir e no dia seguinte a partida continuava. Sendo assim, depois de três dias de disputa, resolveram se casar para continuar o jogo em casa.

Bom, quanto às brincadeiras infantis: As meninas brincavam de “roda”, onde cantavam as mais belas canções de roda (hoje bem poucos cantam essas maravilhosas canções). Infelizmente, no mundo
moderno, as canções maliciosas estão nos rádios para que qualquer um ouça. Para os meninos havia os piões de vários tamanhos e formas, os jogos de bolinhas de gude, ioios... Havia crianças campeãs em manuseio dos ioios.
Quem não conhece a “cama de gato” com barbante nos dedos da mão? Era bonito e engenhoso.

Para as meninas as tão famosas e procuradas bonecas de pano, feitas à mão e com roupas muito bonitas e todas cheias de detalhes, preparadas para várias ocasiões. Hoje, objeto de colecionadores (e pagam caro por isso). Fica uma sugestão para presente.


Para os adultos os jogos tradicionais de mesa são uma distração sadia e familiar. Para os jovens e crianças, distração e educação.


É uma pena que essa época se foi... voltará um dia? Dependerá de nós, pois nós educamos os jovens de hoje e adultos de amanhã. A nossa responsabilidade está justamente EM RESGATAR A TRADIÇÃO. “Uma árvore sem raízes, tomba até com a leve brisa.”

Quem quiser ler mais sobre o assunto, clique em
http://almascastelos.blogspot.com/2010/05/brincadeiras-antigas.html

terça-feira, 5 de outubro de 2010

O Branco Azul


Uma das coisas que o homem não pode perder é o senso de maravilhoso. A perda da noção do que é certo ou errado, a mistura do bom e do mau, a poeira da confusão psiquica que tem obnubilado o ser humano... é uma coisa lamentável.
No entanto, admirar as coisas que Deus criou é uma das fórmulas para se estimular o senso do maravilhoso tão adormecido... De certa forma é o despertar da inocencia...
A Neve, sem dúvida, é uma das coisas mais bonitas no inverno. A neve reflete muitas virtudes:

Branca, alva, como um manto de pureza que cobre a Terra. Como é bonita a pureza. Azulada, para lembrar que a pureza leva ao céu. Silenciosa, para lembrar que o silencio e o recolhimento nos eleva o coração ao alto. E quantas outras coisas se formos exercitar a transcendencia do pensamento.

A neve nem sempre aglutina. Quando a temperatura é próxima de zero graus celsius até uns 10 ou 12 graus negativos, pode-se fazer bolinhas de neve, ela aglutina. Mas quando a temperatura cai ainda para além dos 13 graus célcius negativos, a neve já não mais aglutina. Se pegar-mos a neve na mão e apertar, ela escorrega. Quando se anda em neve assim, ela assobia pelo atrito entre os cristais.
Porém uma coisa há de mais maravilhoso nisso tudo. Os flocos de neve que caem com suavidade e com o vento, são formado por pequenos cristais. Ocorre que todos os cristais de neve ou gelo são todos hexagonais, porém jamais repetidos. Ninguém nunca encontrou dois cristais de neve iguais.

Assim, Deus quis maravilhar o homem, mostrando a perfeição de toda a criação. Vejam alguns cristais de neve:



segunda-feira, 4 de outubro de 2010

O caminho do paraíso nas Montanhas Dolomíticas


Há no norte da Itália uma estrada entre colunas imensas de montanhas escarpadas por onde todo o turista não deixa de ir. Trata-se das Montanhas Dolomíticas. São montanhas de rochas brancas se confundindo com a neve. Vale a pena ver.



sábado, 2 de outubro de 2010

A Fonte da Juventude


Devemos cuidar da alma, mas não devemos esquecer do corpo também. Ou não sabeis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo, que habita em vós, o qual recebestes de Deus e que, por isso mesmo, já não vos pertenceis? (I Corintios 6: 19)

Talvez os mais jovens que venham a ler esta publicação não conheçam a “Fonte da Juventude”. A Fonte da Juventude era uma fonte de água que jorrava em um determinado local, quem a bebesse rejuvenescia. Havia referencia dessa Fonte nas estórias em quadrinhos e em filmes antigos também. Pessoas que se aventuravam pelas florestas em busca de tal Fonte, formando verdadeiras expedições, quando a encontravam voltavam mais jovens. Claro que essa “Fonte da Juventude” era uma lenda. Lenda que tinha um fundo de verdade, pois esclareço aos leitores que existe uma “Fonte de Juventude”. Não como na lenda, fazendo a pessoa voltar no tempo e ficar mais jovem, mas com certeza preserva a juventude, retarda a velhice, previne e até cura doenças. E essa fonte está ao alcance de todos: a água natural. Explico:

O nosso corpo é formado de matéria sólida e líquida. Segundo nos ensina a ciência, “No corpo humano a água é o principal constituinte, existe entre 70% a 75%, devendo-se ao facto de ser um componente essencial no funcionamento do organismo, necessário para muitas das suas funções vitais.” Temos água no sangue, no estomago, nas células, nos órgãos, e na própria pele. Se nossa pele não tivesse água, não conseguiríamos nem sequer dobrar o dedo que ele racharia e se quebraria.

Já que a água é tão fundamental para nosso corpo humano, e ocupa de 70% a 75% do nosso corpo, repor água saudável é extremamente benéfico.

Para além da camada de terra que envolve nosso planeta, há camadas rochosas de várias formações minerais (rochas de calcário, magnésio, etc.). A água penetra no solo, através da chuva e de outros meios, depois pela ação da gravidade ela encontra as camadas rochosas e assim percorrendo sob a terra, procura alguma fenda nas rochas para continuar descendo. Através do atrito a água leva consigo esses sais minerais que encontra pelo caminho das várias rochas. Chegando mais abaixo no solo, encontra um miolo cada vez mais quente em função das lavras vulcânicas que existem no centro da terra. Esse calor “cozinha” a água com os sais minerais, e pelo vapor, acaba submetendo a água a pressões fortes expulsando-a para a superfície novamente por alguma fissura ou rachadura das camadas rochosas, formando as fontes de águas naturais minerais.

Dependendo da região e das rochas encontradas no solo, a água adquire uma propriedade peculiar.

As águas minerais naturais, quase todas radioativas na fonte e com temperaturas diversas, tem fins terapêuticos e restaurador: GASOSA (a água já sai naturalmente gaseificada da própria fonte), MAGNESIANA (rica em magnésio), FERRUGINOSA (Tônica por excelência, de sabor não muito agradável, mas excelente para a saúde), SULFUROSA (desagradável ao paladar, mas extremamente terapêutica), e assim são as muitas águas que encontramos nas estâncias hidrominerais.

A estância de Águas de Lindóia tem para exibição pública a nota fiscal de número 20.218, da cervejaria Amazonas, emitida em abril de 1969, onde consta que foram vendidas cem dúzias de garrafas de água mineral para o consumo na lua, pelos astronautas da missão Apolo 11 norte-americana. (fonte: Jornal Folha de São Paulo de 13/07/1989).

ÁGUA NA FRANÇA TEM SABOR E ESTILO:

Há em Paris (França) um bar que só comercializa águas. No cardápio há 130 tipos diferentes de água francesa e mais 20 estrangeiras. A brasileira é representada pela “Minalba”, à disposição entre árabes, alemãs ou suecas. Os freqüentadores habituais são alunos do Clube de Ginástica Nicolo, onde funciona o bar. Mas tem entrada franca a quem quiser.

Uma futura mamãe desavisada passaria maus bocados se tomasse alguns copos de CONTREXEVILLE. Esse tipo de água é altamente diurético e triplicaria suas visitas ao banheiro. Em compensação, é a água dos gorduchos, pois ajuda a matar a sede de emagrecer.

Não é difícil ver uma vendedora da loja ou uma funcionária do escritório tirar debaixo da mesa uma garrafa de CONTREX e beber, no gargalo mesmo. Não que essa categoria profissional seja marcada por gordos, mas o trabalho sedentário acaba com a linha. Essa água é conhecida como “a água que as mulheres bebem no bureau (escritório)”. A taxa de fidelidade de seus consumidores é maior de todas as marcas. Rica em cálcio e sulfato, pobre em sódio, além de ajudar a emagrecer, é recomendada para casos mais sérios de retenção de água e propensão a cálculos renais.

Mas as mamães não passam sede. EVIAN, “a água do equilíbrio”, como vende a publicidade, é a água de mães e bebês. Como é muito pouco mineralizada, não modifica as propriedades do leite e por isso é a mais agitada nas mamadeiras. Mas equilíbrio é bom para qualquer um e esse é o tipo de água ideal para hidratação de todos os dias. Leva magnésio, cálcio e sulfato para o organismo, beneficia o equilíbrio nervoso e a manutenção do tônus muscular. Entre as não gasosas é a mais vendida.

A água ideal para a turma do churrasco e para quem gosta de farturas em geral é a VITTEL, desintoxicante e diurética. Graças à quantidade apreciável de magnésio, estimula o sistema endocrinológico. A composição da água não é apenas responsável por seu valor terapêutico mas também por seu sabor.

Alguns bem sutis, como a VITTEL, outros nem um pouco, como o da VOLVIC, de terra, e o da gasosa VICHY, meio salgado. A VICHY é desaconselhada aos hipertensos, cardíacos e a todos que fazem dieta sem sal. Mas se o sujeito está de ressaca funciona mais ou menos como um sal de frutas. Cai bem no fígado e nas vias digestivas e é indicada para combater as náuseas.

Agora, se o beberão, além de se alcoolizar na festa ainda saracoteou a noite toda, deve ingerir alguns copos de HÉPAR. Tem gosto horrível. É uma água muito mineralizada, mas indicada para períodos de esgotamento. É poderosa ainda no combate à prisão de ventre, pois é composta por muito magnésio, cálcio e sulfato.

Prosseguindo com as bulas, os franceses dispõem até de uma água que evitaria as cáries. É a BADOIT, com “bolinhas” e muito flúor.

Mas o status da PERRIER nenhuma outra tem. É o “champanhe das águas”, não só nos outros países, mas no Brasil também. É a água do prazer, das festas. Chiques, é claro. É uma água naturalmente gaseificada devido ao gás carbônico do subsolo vulcânico de onde vem. Mata rapidamente a sede. A pressão do seu gás é tanta que jamais poderia ser engarrafada em plástico. O logotipo é o mesmo desde Napoleão III.

(fonte: Jornal Folha de São Paulo de 09/12/1988)

Nós brasileiros também temos águas maravilhosas. A LINDÓYA fonte São José e fonte São Sebastião (ricas em bicarbonato de cálcio), LINDOYA fonte Levíssima (suave e pouco mineralizada), MINALBA fonte Água Santa (rica em bicarbonato de magnésio), PRATA fonte Leve II (a única com sulfato de bário e rica em bicarbonato de cálcio e magnésio e Fluor), CAXAMBU fonte Mayrink II (bicarbonato de potássio e rica em gás carbônico), e finalmente a BONAFONT (altamente recomendada por quase não conter sódio), todas radioativas na fonte.