Mas porque Almas Castelos? Eu conheci algumas. São pessoas cujas almas se parecem com um castelo. São fortes e combativas, contendo no seu interior inúmeras salas, cada qual com sua particularidade e sua maravilha. Conversar, ouvir uma história... é como passear pelas salas de sua alma, de seu castelo. Cada sala uma história, cada conversa uma sala. São pessoas de fé flamejante que, por sua palavra, levam ao próximo: fé, esperança e caridade. São verdadeiras fortalezas como os muros de um Castelo contra a crise moral e as tendências desordenadas do mundo moderno. Quando encontramos essas pessoas, percebemos que conhecer sua alma, seu interior, é o mesmo que visitar um castelo com suas inúmeras salas. São pessoas que voam para a região mais alta do pensamento e se elevam como uma águia, admirando os horizontes e o sol... Vivem na grandeza das montanhas rochosas onde os ventos são para os heróis... Eu conheci algumas dessas águias do pensamento. Foram meus professores e mestres, meus avós e sobretudo meus Pais que enriqueceram minha juventude e me deram a devida formação Católica Apostolica Romana através das mais belas histórias.

A arte de contar histórias está sumindo, infelizmente.

O contador de histórias sempre ocupou um lugar muito importante em outras épocas.

As famílias não têm mais a união de outrora, as conversas entre amigos se tornaram banais. Contar histórias: Une as famílias, anima uma conversa, torna a aula agradável, reata as conversas entre pais e filhos, dá sabedoria aos adultos, torna um jantar interessante, aguça a inteligência, ilustra conferências... Pense nisso.

Há sempre uma história para qualquer ocasião.

“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc. 16:15)

Nosso Senhor Jesus Cristo ensinava por parábolas. Peço a Nossa Senhora que recompense ao cêntuplo, todas as pessoas que visitarem este Blog e de alguma forma me ajudarem a divulga-lo. Convido você a ser um seguidor. Autorizo a copiar todas as matérias publicadas neste blog, mas peço a gentileza de mencionarem a fonte de onde originalmente foi extraída. Além de contos, estórias, histórias e poesias, o blog poderá trazer notícias e outras matérias para debates.
Agradeço todos os Sêlos, Prêmios e Reconhecimentos que o Blog Almas Castelos recebeu. Todos eles dou para Nossa Senhora, sem a qual o Almas Castelos não existiria. Por uma questão de estética os mesmos foram colocados na barra lateral direita do Blog. Obrigado. Que a Santa Mãe de Deus abençoe a todos.

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Sagrada Face


Como é linda a Vossa Face, Senhor!...
Após 20 séculos nos é dada a graça, a nós Vossos remidos, de nos inebriar nos Vossos traços régios, que nos deixastes no Santo Sudário para ler nele a Vossa Paixão e Vosso amor por nós...

Abri, Jesus, estes Vossos olhos!...
Olhai-me... Dirigi-me um só olhar que me inflame o coração, que me faça compreender quem sois...
Olhai-me Senhor!...

Abri Vossos lábios, que jorram Vossas graças e falai-me!... Fazei que escute Vossa voz, que abriu os olhos dos cegos, curou os doentes, deu vida aos mortos, que acalmava, consolava, e convertia...

Inclinai Vosso ouvido sobre mim ó Jesus! e escutai minha pobre voz: Fazei que eu veja, Senhor... Purificai meu coração, Jesus!...

Jesus, Filho de Davi, tende piedade de mim! Salvai-me, Senhor, pois me vejo perdido! Em Vós, Senhor, confio, jamais serei confundido.

(Indulgência por Sua Eminência o Cardeal Agnelo Rossi, 7 – VIII – 1968)


BENÇÃO DE SÃO FRANCISCO

O Senhor te abençoe e te guarde!
O Senhor te mostre a Sua Face e se compadeça de ti!
O Senhor volte para ti a Sua Face e te dê a paz! O Senhor te abençoe! (Num. 6,24)

(livrinho de devoção da Sagrada Face - Apostolado da Sagrada Face - SP - com aprovação eclesiástica)

sábado, 18 de dezembro de 2010

Feliz Natal e Bom Ano Novo


Aos meus amigos e amigas que me acompanharam neste meu trabalho apostólico, desejo que neste Natal o Menino Jesus, pela intercessão de Sua Mãe Puríssima, conceda a todos e a seus familiares as mais especiais bençãos e graças, e que o Ano Novo que se aproxima, com horizontes prenunciadores de grandes borrascas, seja de muitas virtudes, coragem e sobretudo de muita fé, esperança e caridade. Que Nossa Senhora nos abençoe e faça com que se realize as suas promessas tão cheias de doçura: "Por fim, o Meu Imaculado Coração Triunfará".

MARTIROLÓGIO

No ano 5199 da criação do mundo, quando Deus criou o céu e a terra: no ano 2957 do dilúvio e 2015 do nascimento de Abraão: fazendo 1519 anos dias de Moisés e do Êxodo do Povo de Israel do Egito e 1032 anos da unção do Rei Davi: na 45ª semana segundo a profecia de Daniel: por ocasião da 149ª olimpíada, aos 752 anos da fundação de Roma e 42° de Otaviano Augusto: estando em paz todo o universo, à sexta idade do mundo, JESUS CRISTO, Deus Eterno e Filho do Eterno Pai, querendo consagrar este mundo por sua misericordiosíssima vinda, tendo sido concebido do Espírito Santo e passados nove meses de Sua Conceição, nasceu, feito homem, da sempre VIRGEM MARIA, em Belém (todos se ajoelham) de Judá: a natividade de NOSSO SENHOR JESUS CRISTO segundo a carne!

domingo, 12 de dezembro de 2010

O perdão da cruz


Certo fidalgo levou a Luís XII, rei da França, uma lista em que figuravam os nomes dos mais notáveis homens da corte e disse-lhe:

- Assinalei com uma cruz os nomes dos vossos inimigos, dos vossos desafetos e daqueles que conspiram contra a vossa vida e contra o vosso trono; penso que não deveis perdoar-lhes.

- E estão marcados com uma cruz? - insistiu o rei.

- Sim, com uma cruz.

- Pois bem – volveu o monarca. – A cruz manda que eu perdoe. Estão perdoados.

Também na vida conforme nos ensinam santos evangelhos, o perdão de Deus chega sempre para aqueles que se aproximam da cruz.

("Lendas do Céu e da Terra" – Malba Tahan)

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

A oração do lenhador


No ano de 1880, na Suíça, aconteceu um fato maravilhoso: um pároco ouviu de noite uma voz que o chamava e dizia:

- Vá logo a tal ponto das montanhas da Suíça, para levar a Comunhão a um homem que vai morrer.

O pároco se levantou, tomou o Santíssimo Sacramento, montou a cavalo e partiu, acompanhado pelo sacristão. Ao despontar da aurora chegou ao lugar indicado, e vendo um velho lenhador lhe perguntou:

- Há algum enfermo na sua família?

- Que eu saiba, nenhum, graças a Deus.

E mandou perguntar pelas casas de campo mais próximas, mas nenhum enfermo apareceu.
Não sabendo o sacerdote explicar o que acontecera, determinou voltar para sua paróquia, mas o velho lenhador lhe disse:

- Senhor Padre, já que vós levais o Santíssimo Sacramento e eu não posso, por causa de minha velhice, ir à igreja tão distante, descansai um pouco, depois ouvi-me em confissão, e em seguida dai-me a Comunhão.

- Muito bem, respondeu o padre, e satisfez os desejos do velho.

Pôs-se depois em marcha, e mal se havia afastado duzentos passos, foi chamado aos gritos por um jovem:

- Senhor Padre! Senhor Padre! Vinde rápido que meu pai teve um ataque.

Com efeito, o sacerdote acorreu e encontrou o velho já em agonia, mas com o rosto alegre e sereno. E, ao ver o sacerdote, lhe disse:

- Foi meu Anjo da Guarda que vos enviou. Foi por minha causa que fostes ontem chamado. Eu estava perto da morte e não o sabia. Sempre tive especial devoção ao Santíssimo Sacramento, e como temia ser vítima de um ataque, um dia roguei ao Senhor que não me deixasse morrer sem receber o santo Viático. Bendito seja Deus, que me ouviu!

Pouco depois de ditas estas palavras, com os sentimentos da mais acendrada piedade e com a paz do justo, o velho lenhador, assistido por seu próprio pároco, entregou a alma a Deus.

(Pe. Pedro Laurenti S.J., Le Meraviglie del SS. Sacramento)
(Milagres Eucaristicos – Padre Manuel Traval Y Roset S.J. – Editora Artpress)

A face dos santos


A santidade consiste numa luta eterna contra o pecado. A vida de santidade é heróica. Pois para ser santo é necessário praticar a virtude em grau heróico.

Desde a época de João Batista até o presente, o Reino dos céus é arrebatado à força e são os violentos que o conquistam. (São Mateus, 11:12)

A honra dos altares não é concedida às almas hipersensíveis, fracas, que fogem dos pensamentos profundos, do sofrimento pungente, da luta, da Cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo.

No entanto, com a crise do mundo moderno, certa iconografia muito em uso, insiste em apresentar os santos como criaturas moles, sentimentais, sem personalidade nem força de caráter, incapazes de idéias sérias, sólidas, coerentes, almas levadas apenas por suas emoções, e, pois, totalmente inadequadas para as grandes lutas que a vida terrena traz sempre consigo

A figura de Santa Teresinha do Menino "Jesus foi especialmente deformada pela má iconografia. Rosas, sorrisos, sentimentalismo inconsistente, vida suave, despreocupada. Essa é a idéia que nos dão da “Santinha”.

Como isso difere da verdade da santidade. Ser humilde sim, mas firme, não mole e sentimental.

Eis que dizia Santa Teresinha do Menino Jesus:

Santa Teresinha tinha um traço guerreiro em sua alma:

"Na minha infância sonhei combater nos campos de batalha. Quando comecei a aprender a história da França, o relato dos feitos de Joana d'Arc me encantava; sentia em meu coração o desejo e a coragem de imitá-los" (Lettres de Sainte Thérese de l'Enfant-Jésus, Carta ao Abbé Belliere, Office Central de Lisieux, 1948).

"Oh! não, eu não teria tido medo de ir à guerra. Com que alegria, por exemplo, no tempo das cruzadas, teria partido para combater os hereges. Sim! eu não teria tido medo de levar um tiro, não teria tido medo do fogo!"
(CametJaune. 4.8.6-in Demiers entretiens. Édi­tions du Centenaire, Desclée de Brouwer­Éditions du Cerf, Paris, 1971)

O mesmo espírito combativo animava-a nos embates da vida espiritual:

"A santidade! - é preciso conquistá-la à ponta da espada .... é preciso combater!...".
(Correspondance Générale, Éditions du Cerf- Desclée de Brouwer, Paris, 1972, t. I (1877­1890), Carta (nO 89) a Celina, de 26 de abril de 1889. E Lettres ...• Carta a Leônia, de 20 de maio de 1894)

Os textos aqui reproduzidos são da própria Santa Teresinha, extraídos de seus "Manuscritos Autobiográficos", traduzidos e publicados pelo Carmelo do Imaculado Coração de Maria e de Santa Teresinha, Cotia (SP), 2 “ed., 1979, pp. 141 - 142 e 199 - 200.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Indio Cherokee


Como disse na publicação anterior, eu também já havia postado este artigo, mas recebi uns e-mails pedindo a re-publicação de dois temas: Cartão de Visitas e o Índio Cherokee. Assim, atendendo os pedidos desse amigos publico:

Conheces a lenda do rito de passagem da juventude dos índios Cherokees?

O pai leva o filho para a floresta durante o final da tarde, venda-lhe os olhos e deixa-o sozinho.
O filho se senta sozinho no topo de uma montanha toda à noite e não pode remover a venda até os raios do sol brilharem no dia seguinte.Ele não pode gritar por socorro para ninguém.

Se ele passar a noite toda lá, será considerado um homem.Ele não pode contar a experiência aos outros meninos porque cada um deve tornar-se homem do seu próprio modo, enfrentando o medo do desconhecido.

O menino está naturalmente amedrontado.Ele pode ouvir toda espécie de barulho.Os animais selvagens podem, naturalmente, estar ao redor dele.Talvez alguns humanos possam feri-lo.Os insetos e cobras podem vir picá-lo.Ele pode estar com frio, fome e sede. O vento sopra a grama e a terra sacode os tocos, mas ele se senta estoicamente, nunca removendo a venda.

Segundo os Cherokees, este é o único modo dele se tornar um homem.

Finalmente...
Após a noite horrível, o sol aparece e a venda é removida.
Ele então descobre seu pai sentado na montanha perto dele.
Ele estava à noite inteira protegendo seu filho do perigo.

Nós também nunca estamos sozinhos!
Mesmo quando não percebemos Deus está olhando para nós, “ao nosso lado”.

Quando os problemas vêm, tudo que temos a fazer é confiar. ELE sempre nos protegerá.

(autoria desconhecida – recebido da internet)

Cartão de Visitas


Eu já havia feito esta postagem anteriormente, mas recebí uns e-mails pedindo a re-publicação de dois temas: Cartão de Visitas e o Índio Cherokee. Assim, atendendo os pedidos desse amigos publico:

Um senhor de 70 anos viajava de trem tendo ao seu lado um jovem universitário que lia o seu livro de ciências.

O senhor, por sua vez, lia um livro de capa preta. Foi quando o jovem percebeu que se tratava da Bíblia e estava aberta no livro de São Marcos. Sem muita cerimônia o jovem interrompeu a leitura do velho e perguntou:

- O senhor ainda acredita neste livro cheio de fábulas e crendices?

- Sim, mas não é um livro de crendices. É a Palavra de Deus. Estou errado?

- Mas é claro que está! Creio que o senhor deveria estudar a História Universal. Veria que a Revolução Francesa, ocorrida há mais de 100 anos, mostrou a miopia da religião. Somente pessoas sem cultura ainda crêem que Deus tenha criado o mundo em seis dias. O senhor deveria conhecer um pouco mais sobre o que os nossos cientistas pensam e dizem sobre tudo isso.

- É mesmo? E o que pensam e dizem os nossos cientistas sobre a Bíblia?

- Bem, respondeu o universitário, como vou descer na próxima estação, falta-me tempo agora, mas deixe o seu cartão que eu lhe enviarei o material pelo correio com a máxima urgência.

O velho então, cuidadosamente, abriu o bolso interno do paletó e deu o seu cartão ao universitário.
Quando o jovem leu o que estava escrito, saiu cabisbaixo sentindo-se pior que uma ameba.

No cartão estava escrito:

Professor Doutor Louis Pasteur,
Diretor Geral do Instituto de Pesquisas Científicas
da Universidade Nacional da França.


"Um pouco de ciência nos afasta de Deus. Muito, nos aproxima". Louis Pasteur.

(Cartão de visitas - Fato verdadeiro, integrante da biografia, ocorrido em 1892)

sábado, 4 de dezembro de 2010

Música Celestial


Milagre Eucarístico ocorrido no século XIII, na cidade de Santarém (Portugal)

Belíssima é a cidade portuguesa de Santarém, situada às margens do rio Tejo, não longe de Lisboa.

Nela, uma pobre mulher sofria de maus tratos por parte de seu marido, e ao invés de buscar remédio e consolo na prática das virtudes cristãs, teve a infeliz idéia de comunicar suas penas a uma velha, a qual, por ignorância ou malícia, deu-lhe um péssimo conselho: recomendou que fosse comungar numa igreja, mas ao invés de consumir a Hóstia Sagrada, a levasse às ocultas para sua casa. Com isso, dizia, o marido voltaria a estimá-la.
Não tardou a mulher em realizar o diabólico conselho, e estando já na posse da Hóstia Sacrossanta, a pôs escondida num móvel.

À meia noite, entretanto, uma música celestial despertou o casal, e marido e mulher notaram que, pelas frestas do móvel, saíam luzes maravilhosas.
Atônita a mulher ao ver o que acontecia, contou ao marido o que tinha feito, e determinaram ambos, por temor dos castigos de Deus, avisar o sacerdote da paróquia.

Este levou, com todo o respeito, o Divino Sacramento à igreja, onde até hoje se conserva numa esfera de cristal, obrando muitos milagres de vários gêneros, os quais tornaram célebre a cidade de Santarém.

(Pe. Fr. Alonso Ribera, História Sacrosanta Del Sacramento – Pe Fr. Jaime Baron, Luz de la Fé y de la Ley, liv. 3, cap.41)