Mas porque Almas Castelos? Eu conheci algumas. São pessoas cujas almas se parecem com um castelo. São fortes e combativas, contendo no seu interior inúmeras salas, cada qual com sua particularidade e sua maravilha. Conversar, ouvir uma história... é como passear pelas salas de sua alma, de seu castelo. Cada sala uma história, cada conversa uma sala. São pessoas de fé flamejante que, por sua palavra, levam ao próximo: fé, esperança e caridade. São verdadeiras fortalezas como os muros de um Castelo contra a crise moral e as tendências desordenadas do mundo moderno. Quando encontramos essas pessoas, percebemos que conhecer sua alma, seu interior, é o mesmo que visitar um castelo com suas inúmeras salas. São pessoas que voam para a região mais alta do pensamento e se elevam como uma águia, admirando os horizontes e o sol... Vivem na grandeza das montanhas rochosas onde os ventos são para os heróis... Eu conheci algumas dessas águias do pensamento. Foram meus professores e mestres, meus avós e sobretudo meus Pais que enriqueceram minha juventude e me deram a devida formação Católica Apostolica Romana através das mais belas histórias.

A arte de contar histórias está sumindo, infelizmente.

O contador de histórias sempre ocupou um lugar muito importante em outras épocas.

As famílias não têm mais a união de outrora, as conversas entre amigos se tornaram banais. Contar histórias: Une as famílias, anima uma conversa, torna a aula agradável, reata as conversas entre pais e filhos, dá sabedoria aos adultos, torna um jantar interessante, aguça a inteligência, ilustra conferências... Pense nisso.

Há sempre uma história para qualquer ocasião.

“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc. 16:15)

Nosso Senhor Jesus Cristo ensinava por parábolas. Peço a Nossa Senhora que recompense ao cêntuplo, todas as pessoas que visitarem este Blog e de alguma forma me ajudarem a divulga-lo. Convido você a ser um seguidor. Autorizo a copiar todas as matérias publicadas neste blog, mas peço a gentileza de mencionarem a fonte de onde originalmente foi extraída. Além de contos, estórias, histórias e poesias, o blog poderá trazer notícias e outras matérias para debates.
Agradeço todos os Sêlos, Prêmios e Reconhecimentos que o Blog Almas Castelos recebeu. Todos eles dou para Nossa Senhora, sem a qual o Almas Castelos não existiria. Por uma questão de estética os mesmos foram colocados na barra lateral direita do Blog. Obrigado. Que a Santa Mãe de Deus abençoe a todos.

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Sua última palavra antes da cirurgia

Um pai de família, profundamente religioso, fora acometido de um mal muito sério nas cordas vocais. Foi ao médico, que constatou um tumor maligno. Somente uma cirurgia poderia solucionar o problema. Mesmo assim arriscar-se-ia a perder a fala para sempre.

Um tanto abatido, voltou para casa e contou o resultado do exame. Despediu-se de todos e se apresentou ao doutor no dia marcado. Antes de iniciar a operação o medico perguntou:

- Se tiver algum recado ou recomendação a dar, pode fazê-lo agora.

Então aquele homem de fé disse com voz firme e forte:

- Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

Fonte: Boletim do Padre Pelagio
Foto: da internet. É uma senhora enferma

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Nossa Senhora do Bom Conselho foi trazida pelos Anjos


Como é que Nossa Senhora do Bom Conselho chegou até Genazzano (20 km de Roma)? E como é que essa pintura se mantém suspensa no ar milagrosamente até hoje?

No ano de 1467, a 25 de abril, “a multidão reunida na piazza de Santa Maria (em Genazzano), ficou surpresa ao ouvir, nos ares tão puros de sua região, ecos de celestes harmonias. (...)”

“Daí a pouco, bem por cima das mais altas casas, dos campanários das Igrejas e das torres dos palacetes mais elevados, viram uma bela nuvem branca, espargindo em todas as direções raios de luz muito vivos, em meio a uma angélica melodia e a um esplendor que obscurecia o Sol. A nuvem desceu aos poucos (...)”

“Imediatamente, os sinos do alto campanário começaram a repicar, se bem que todos pudessem constatar que mão humana nenhuma os tocava. Em seguida, todos os sinos das igrejas da cidade puseram-se a responder e a soar festivamente em uníssono (...)”

“Pouco a pouco, os raios de luz deixaram de brilhar, a nuvem começou a se iluminar suavemente, e um objeto muito belo apareceu. (...) era uma imagem de Nossa Senhora, tendo em seus braços o divino Menino Jesus: Ela parecia sorrir-lhes e dizer-lhes: “Não temais: eu sou vossa Mãe, e vós sereis os meus filhos bem-amados”...

(Mgr GEORGES P. DILLON, La Vierge Mère du Bon Conseil, Desclée de Brower, Bruges, 1885, pp. 65 e 68 / Imprimatur: Brugis, in festo S. Mathaei, apost., 21 september is 1885, J. A. Syoen, Can. Libr. Cens.)

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Em poder dos saltimbancos


No meio do tumulto de uma feira, um pai perdeu sua filha. Por longo tempo a procurou, mas em vão. Quatro anos depois, em Londres, quand procedia a uma das suas habituais pesquisas, viu uma menina no estrado de uma barraca de saltimbancos. Não havia dúvida, era ela! Salta os cavaletes, sobe ao tablado e brada-lhe:

- Minha filha!

Mas a jovem, esquecida de seus primeiros anos, deseducada pela vida prolongada entre os ciganos e contaminada pelos maus exemplos e péssimos conselhos, respondeu:

- Vós, meu pai... Não vos conheço! Meu verdadeiro pai é aquele! e apontava para um miserável charlatão, que já se dispunha a intervir para não deixar escapar sua presa.

Assim também acontece ao homem fraco e de pouca fé. Atraído, no tumulto da vida, pela ilusão grosseira do pecado, é arrebatado das mãos paternas de Deus.

E quando Jesus vai em auxílio, para arranca-lo do vício e do pecado, o infeliz transviado não reconhece o Salvador e continua no erro, escravizado pelas terríveis tentações do mundo.

(D.)
Lendas do Céu e da Terra 

Foto: Pintura de Donald Zolan